Meus primeiros passos com o Linux

Já faz um tempo que eu queria fazer um blog para publicar sobre os mais variados assuntos que me interessam, principalmente, é claro, sobre informática e mais precisamente sobre Linux. Então aí está o http://daniel.hoisel.com.br. Aqui vou tentar transmitir algum conhecimento acumulado nesses 18 anos de informática e 16 anos de Linux. Assuntos, como rádio amador, eletrônica, programação, redes entre outros também serão tratados. Então, de cara, vamos ao que interessa, vamos falar de …

… Linux. Vou começar contando como foi o meu primeiro contato com o Sistema Operacional do pinguim. Lá pelos idos de 1997 eu trabalhava em uma empresa que prestava serviço de assistência técnica para a CDL de Itabuna, onde havia um servidor com o SCO Unix. Lembro que, quando vi o Unix pela primeira vez, comentei com o meu patrão que não entendia como ainda usavam um sistema tão arcaico, ainda em modo texto. A minha referência era o Windows NT. Mal sabia das capacidades intrínsecas do Unix, independente da interface via linha de comando.

À medida em que fui usando, fui percebendo o quanto estava errado. Fiquei bestificado ao verificar que mesmo sem uma GUI (Interface de usuário gráfica) ele era multiusuário, tinha suporte a diversos protocolos de rede (como TCP/IP, X25), tinha um conjunto de comandos simples e poderosos, que permitiam um controle bem maior sobre o sistema, e de forma mais prática e eficiente do que eu estava acostumado no Windows.

Como já tinha experiência com o MS-DOS não foi tão difícil aprender a usar os comandos básicos do Unix, como o cp para copiar, o mv para mover ou renomear, o rm para apagar um arquivo, ou o who para saber quais os usuários estavam logados no sistema.

Nessa mesma época um amigo (Helder Santana) apareceu com uns disquetes de uma distribuição Linux chamada Slackware. Quando soube que era uma espécie de Unix me interessei em experimentar. Fiz uma cópia e instalei no meu 486.

Verifiquei que o Linux era um Unix melhorado, mantendo o padrão dos comandos, mas tinha mais ferramentas, além de ser mais rápido.

Descobri todo o poder do Linux, com sua segurança possível graças a um inteligente sistema de permissões, com seu firewall embutido no kernel, além de ser desenvolvido de uma forma colaborativa e ter o seu código fonte disponível para qualquer um.

Nesses primórdios não era tão fácil instalar o Linux e a documentação disponível era parca. Depois de instalado era preciso algumas peripécias para conseguir configurar a placa de vídeo, de som e modem. Era difícil conseguir fazer uma conexão dialup. Lembro que precisava usar o emulador de terminal minicom para ter acesso direto aos comandos AT do modem US Robotics (bons tempos), depois, quando houvesse a negociação com o modem do provedor, abria outro terminal e chamava o comando pppd com vários parâmetros para conseguir acessar a internet. Quando consegui com sucesso o primeiro ping, foi uma sensação de conquista, de realização inesquecível.

Desde então foi amor à primeira vista. Nos próximos posts vou fazer uma retrospectiva, narrando o uso de diversas outras distribuições, desde o Conectiva, passando pelo Kurumin até chegar ao Sabayon, que é uma das que uso hoje.

Até lá!

2 respostas para “Meus primeiros passos com o Linux”

  1. O Daniel Hoisel além de grande profissional é forte incentivador do uso do Linux pelo usuário comum. A minha profissão NADA tem a ver com informática. Hoje sou usuário do Linux e vários outros softwares gnu/gpl graças ao crucial encorajamento do Daniel. O verdadeiro amor intrínseco pela área, que lhe é peculiar, aniquila a vaidade, característica que possibilita a evolução contínua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *